29.11.16

Selva Amazônica

Aventura na floresta tropical - 

Conhecendo a Amazônia 

A maioria das pessoas pensam dos trópicos como uma floresta enorme e proibida através da qual cada passo dado deve ser limitado, e onde cada polegada do caminho está cheio de perigos. Na verdade, mais da metade da terra nos trópicos é cultivada de alguma forma. Um conhecimento nas habilidades de campo, a capacidade de improvisar, e a aplicação de técnicas vai aumentar as perspectivas de sobrevivência. Não tenha medo de estar sozinho na selva; medo vai levar ao pânico. Pânico vai levar à exaustão e diminuir a sua chance de sobrevivência. Tudo na selva prospera, incluindo germes, doenças e parasitas que se reproduzem em um ritmo alarmante. A natureza irá fornecer água, alimentos, e abundância de materiais para construir abrigos. Os povos indígenas têm vivido por milênios pela caça e coleta. No entanto, vai demorar algum tempo para se acostumar com as condições e atividades ininterruptas de sobrevivência em um ambiente tropical.

Como chegar

O acesso a Manaus só pode ser feito de avião ou de barco (96 h de Belém), pelo Rio Amazonas. A recém-pavimentada BR-174, é uma rodovia longitudinal ligando Manaus a Boa Vista e à Venezuela, passa por Presidente Figueiredo, num total de 974 quilômetros.
Tem como extremos as cidades de Manaus e Pacaraima. É a única ligação de Roraima com o resto do país, sendo sua maior e principal rodovia. Embora iniciada na ditadura militar, a conclusão de seu asfaltamento e sinalização deu-se somente em 1998.
Em seus quase mil quilômetros cruza regiões da Floresta Amazônica e Cerrado, além de grandes campos agrícolas.

A rodovia é fechada na reserva indígena Waimiri-Atroari diariamente entre as 18h30 e as 6h do dia seguinte. É recomendável não parar dentro da reserva, pois o seu traçado é ocupado nesse horário por animais selvagens noctívagos e, por índios locais que também costumam ter hábitos noctívagos. Porém, o fato de se poder manter a estrada aberta à noite tem sido alvo de discussão pelos sucessivos governos. As organizações indígenas os afirmam que se trata de uma medida ecologista para preservar os indígenas e animais. Mesmo durante o dia, tem havido muitos atropelamentos de animais no trecho.

Parques e reservas

Há importantes parques, reservas ecológicas e espaços públicos no município, com boa parte deles sendo administrada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMMAS), Secretaria de Estado da Cultura (SEC) e Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (SDS).
Destaque para o Jardim Botânico Adolpho Ducke (o maior jardim botânico do mundo), situado na zona norte, é caracterizado por mais de três quilômetros de trilhas, além de inúmeras espécies de animais em extinção, como araras, tucanos, tatus e onças-pintadas, distribuídas em 100 km².
O Parque do Mindu está situado no bairro Parque 10 de Novembro. Possui 40,8 hectares e abriga uma considerável população de Soim-de-coleira - um pequeno símio existente apenas na região de Manaus - além de um orquidário, um canteiro de ervas com propriedades terapêuticas e aromáticas e trilhas suspensas.
O Parque Estadual Sumaúma, é a única Unidade de Conservação (UC) de caráter estadual situada na área urbana do município de Manaus. Localiza-se no bairro Cidade nova e caracteriza-se por ser o menor parque estadual do Amazonas em área, com pouco mais de 52 hectares.

Hospedagens na selva - As dezenas de hotéis e os barcos trabalham com sistema de pacotes mínimos de 2 dias e uma noite, que incluem refeições, roupas de cama e banho e translado; também oferecem atividades como caminhadas na selva, pescaria, focagem de jacarés (noturna) e passeios pelo igarapés, lagos e igapós. As instalações são rústicas e simples. Já as pousadas, algumas são verdadeiros hotéis de luxo!.
Mas essas mordomias não vem ao caso, o importante é saber como sobreviver num ambiente desse acampando (se for o caso), ou apenas para conhecer como é a vida na maior selva tropical do mundo.

Clima 

Altas temperaturas, chuvas fortes e umidade caracterizar as regiões equatoriais e subtropicais, exceto em altas altitudes. A baixa altitude, a variação de temperatura raramente é inferior a 10 graus C e é muitas vezes maior que 35 graus C. Em altitudes acima de 1.500 metros, o gelo se forma frequentemente à noite. A chuva tem um efeito de arrefecimento, mas quando ela pára, a temperatura sobe. A chuva é pesada, repentina, muitas vezes com trovões e relâmpagos, batendo na copa das árvores, transformando córregos em fúria de águas torrentes, provocando rios a subir de nível. Assim como, de repente, a chuva pára, tempestades violentas podem ocorrer, geralmente no fim dos meses de verão. Ondas fortes se desenvolvem ao longo do mar e correm para o interior, causando maremotos e devastação em terras. Na escolha de uma área para acampar, verifique se você está acima de qualquer inundação potencial. Os ventos predominantes variam entre inverno e verão. A estação seca tem chuva, uma vez por dia e as monções tem chuva contínua.

A floresta tropical

A floresta Amazônica é a maior floresta tropical pluvial do mundo, abrangendo mais de 7 milhões de km2. Mais de 60% dessa área - Amazônia Legal - encontra-se em solo brasileiro. Para se ter uma idéia desse mundo, ela abriga praticamente toda a Europa dentro, e com folga!. Situada na bacia dos rios Orinoco e Amazonas, a Amazônia concentra mais de 30% da água doce disponível na superfície da Terra. Até 3,5 metros de chuvas abundantes caem uniformemente ao longo do ano, sobretudo nos meses mais quentes. O clima é quente e úmido, com temperaturas média anuais variam entre cerca de 32 graus C de dia, especialmente no nível do mar e, 21 graus C durante a noite. Mesmo nas regiões de altas latitudes, as temperaturas raramente descem até o ponto de congelamento.

Apesar dos solos relativamente pobres, a vegetação é exuberante e distribuída de forma característica em três estratos. A copa das árvores se entrelaçam, formando um teto, ou dossel, que dificulta a passagem de luz,  do vento e por vezes até mesmo da chuva. As árvores que compõe o dossel são altas, atingindo entre 30 metros e 40 metros. Inúmeras lianas (cipós) escalam os troncos dessas árvores até atingir suas copas; epífitas (como samambaias e orquídeas) desenvolvendo-se sobre os galhos do estrato superior. O dossel pode ser ocasionalmente ultrapassado por árvores emergentes, que atingem mais de 50 metros. 

Devido à sua altura e maior exposição ao sol, as plantas do estrato emergente podem perder suas folhas nos meses de menor pluviosidade.  Abaixo dele, é formado por árvores menores que não ultrapassam os 10 m de altura, e produzem um dossel tão espesso que pouca luz atinge o chão da floresta. Uma grande variedade de fungos crescem em folhas e troncos de árvores caídas. Por causa da falta de luz sobre o chão da selva, há pouca vegetação para dificultar o movimento, mas a densa mata limita a visibilidade a cerca de 50 metros. Você pode facilmente perder o seu sentido de orientação nesta selva, e é extremamente difícil para uma aeronave vê-lo.

Biodiversidade - Favorecida pelo clima quente e a grande disponibilidade de água. Com cerca de 20% das espécies identificadas de seres vivos, é reconhecidamente uma das regiões de maior biodiversidade do planeta.

Selva secundária

É muito semelhante ao da floresta tropical, com crescimento prolífico onde a luz solar penetra até o chão da floresta, tipica deste tipo. Esse crescimento acontece principalmente nas margens dos rios, na periferia da selva, e onde o homem desmatou a floresta tropical. Quando abandonada, massas e emaranhado de vegetação recuperam rapidamente estas áreas cultivadas. Muitas vezes é possível encontrar plantas alimentares cultivadas entre esta vegetação. Variações da floresta Amazônica - Além da estratificação vertical, típica das florestas tropicais úmidas, a floresta Amazônica apresenta também uma distribuição horizontal variada, incluindo manchas de vegetação característica de Cerrado e Caatinga nas regiões de menor pluviosidade. Estima-se que essas áreas mais secas correspondam a 14% da extensão total da Amazônia. As áreas mais úmidas dividem-se em igapós, várzeas e mata pluvial propriamente dita.

Água doce e Pântanos

Você encontra pântanos de água doce em zonas interiores de baixa altitude. As suas características são massas de vegetação espinhosa, juncos, gramíneas e palmas curtas ocasionais que reduzem a visibilidade e tornar a viagem difícil. Muitas vezes há ilhas que salpicam estes pântanos, o que lhe permite sair da água. A vida selvagem é abundante nesses pântanos.

Caminhando através da selva

Com a prática, o movimento através do mato grosso da selva pode ser feito de forma eficiente. Sempre use mangas compridas para evitar cortes e arranhões. Para mover-se facilmente, você deve desenvolver "olho de selva", isto é, você não deve concentrar-se no padrão de arbustos e árvores à sua frente imediata. Você deve concentrar-se na selva mais ao longe e encontrar as pausas naturais na folhagem. Olhe através da selva, não para ela. Pare e abaixe ocasionalmente para olhar ao longo do chão da floresta. Esta ação pode revelar trilhas de animais que você pode seguir.
Fique alerta e mova-se lenta e progressivamente através da floresta densa. Pare periodicamente para ouvir e tomar seus instintos. Use um facão para cortar a vegetação densa, mas não corte desnecessariamente ou você vai cansar-se  rapidamente. Use o facão moderadamente em curso ascendente quanto ao corte de cipós para reduzir o ruído porque o som viaja longas distâncias e afugenta animais que porventura o ajudariam a encontrar água ou alimento. Corte  uma vara de parte da vegetação, ela também irá ajudar a desalojar corredores de formigas, aranhas ou cobras. Não agarre ou segure troncos ao subir encostas; eles podem ter espinhos irritantes e afiados.
Muitos animais da selva e florestais seguem pistas ou trilhas de outros animais. Essas trilhas as vezes se cruzam, mas frequentemente levam a água ou clareiras. Use essas trilhas para se conduzir em uma direção desejada.

Dicas de caminhadas na selva

1 - Identifique  a sua localização inicial o mais exata possível, determinando uma linha geral de caminhos para a segurança. Se você não tem uma bússola, use um método de direção de constatação como o explicado em.. Quando se perder
2 - Faça um balanço de materiais e equipamentos de água.
3 - Mova-se em uma direção, mas não necessariamente em uma linha reta. mas evite obstáculos maiores  que o tirem da rota.  
4 - Habitue em mover-se suavemente através da selva, se andar rápido por ela você vai ter muitos cortes e arranhões. 
5 - Há menos probabilidade de ser resgatado sob um dossel de selva densa do que em outras situações de sobrevivência. Você provavelmente terá que caminhar muito para chegar a sua segurança.
6 - Se você for vítima de um acidente de avião, os itens mais importantes para levar com você a partir do local do acidente é um facão, uma bússola, um kit de primeiros socorros, e um pára-quedas ou outro material para uso como mosquiteiros e abrigo. 
7 - Se abrigar da chuva tropical, sol, e insetos. mosquitos portadores de malária e outros insetos são perigos imediatos, de modo a proteger-se contra as picadas. 
8 - Não deixe a área do acidente sem ter o cuidado de sinalizar a marcação de sua rota. Use sua bússola. Sabendo a direção você está tomando. 
9 - Nos trópicos, mesmo o menor risco pode tornar-se rapidamente e perigosamente infectado. Prontamente trate qualquer ferida, não importa quão pequena.
10 - Na selva, mesmo tendo todos os cuidados, uma picada de cobra pode acontecer, se for o caso tenha sempre no seu kit de primeiros socorros um soro antiofídico. E se não tiver leia mais em.. Cobras venenosas
11 - Quando for construir uma abrigo qualquer, que nunca seja próximo ao chão, a selva é viva de formigas (tocandiras), aranhas e todo tipo de insetos que podem te provocar dores, náuseas e até te matar. Veja como construir um abrigo no mato.. Abrigos e barraca

Aquisição de água

Mesmo que a água é abundante na maioria dos ambientes tropicais, você pode, como um sobrevivente, ter dificuldade em encontrá-la. Se você encontrar água, pode não ser segura para beber. Algumas das muitas fontes são videiras, raízes, palmeiras, e condensação. Às vezes, você pode seguir os animais à água. Muitas vezes você pode obter água quase clara a partir de correntes lamacentas ou lagos por cavar um buraco no solo arenoso cerca de 1 metro do banco. A água vai escoar para dentro do buraco. Você deve purificar a água obtida desta forma.
Saiba mais em.. Procurando água

Animais como sinais de água

Animais muitas vezes pode levá-lo à água. A maioria dos animais necessitam de água regularmente. Rastros de animais, como veados, geralmente nunca estão longe de água e eles bebem ao amanhecer e anoitecer. Convergentes trilhas e rastros muitas vezes levam a água. Carnívoros não são indicadores confiáveis ​​de água. Eles ficam fartos dos animais que comem e podem ficar sem água por longos períodos. Pássaros às vezes pode levá-lo à água, comedores de grãos, como tentilhões e pombos, nunca está longe de água. Eles bebem ao amanhecer e anoitecer. Quando voam em linha reta e baixa, eles estão indo para a água. Quando retornam da água, eles estão cheios e vão pousar de árvore em árvore, descansando com frequência. Não confie em aves aquáticas para levá-lo à água. Eles voam longas distâncias sem parar. Falcões, águias e outras não necessitam de líquidos até encontrarem as suas vítimas; você não pode usá-los como um indicador de água.
Os insetos podem ser bons indicadores de água, especialmente as abelhas. Abelhas raramente variam mais de 6 quilômetros de seus ninhos ou colmeias. Eles terão geralmente uma fonte de água nesta gama. Formigas precisam de água. Uma coluna de formigas marchando-se em uma árvore está indo para um pequeno reservatório de água aprisionada. Você encontra-rá tais reservatórios, mesmo em áreas áridas. A maioria das moscas ficam a menos de 100 metros de água, especialmente a varejeira, facilmente reconhecido pelo seu corpo verde iridescente. Trilhas humanas normalmente levará a um poço ou nascente. 

Alimentos

Comida é geralmente abundante em uma situação de sobrevivência numa floresta tropical, mas na Amazônia, não é tão fácil quanto parece. Para obter alimento animal, use os procedimentos descritos em.. Caça e pesca
Além de alimentos de origem animal, você terá que completar a sua dieta com plantas comestíveis.
Não vá pensando em encontrar árvores ou plantas frutíferas no meio da Amazônia a toda hora, por causa do solo pobre e o clima, como foi abordado antes, é quase raro encontrar uma "bananeira" por exemplo. Os melhores lugares para forragem são as margens de córregos e rios. Onde quer que o sol penetra na selva, haverá uma massa de vegetação, mas os bancos dos rios podem ser as áreas mais acessíveis.
Se você está fraco, não gaste suas energias em escaladas  ou o corte de árvores para o alimento. Há mais de fonte de alimentos obtido facilmente perto do solo. Não escolha mais alimentos do que você precisa, a comida estraga rapidamente em condições tropicais. Deixe o alimento no crescimento da planta até que você precise, e coma-o fresco.
Há um número quase ilimitado de plantas comestíveis de que possa escolher. A menos que você possa identificar positivamente estas plantas, pode ser mais seguro em primeiro lugar para começar com palmeiras, bambus e frutas comuns ... Veja.. Plantas comestíveis e venenosas  no blog Camping Natural
Plantas venenosas
A proporção de plantas tóxicas nas regiões tropicais não é maior do que em qualquer outra área do mundo. No entanto, pode parecer que a maioria das plantas nos trópicos são venenosas por causa da grande densidade de crescimento das plantas em algumas áreas tropicais. 
Veja na postagem.. Plantas venenosas



Nenhum comentário:

Postar um comentário