29.11.16

Praias selvagens do Rio

Roteiro pelas praias selvagens da cidade do Rio de Janeiro

Dono de uma extensa faixa litorânea, o Rio alcançou fama internacional graças, em grande parte, às suas praias urbanas. Mas essa orla generosa, que abriga 71 praias, preserva algumas delas ainda selvagens. São recantos paradisíacos, protegidos por paredões de pedra e vegetação exuberante, acessíveis apenas por trilhas (nem sempre fáceis) ou por embarcações. Situadas entre Grumari e Barra de Guaratiba, as praias dos Búzios (ou das Conchas), do Perigoso, do Meio, Funda, do Inferno, além de outras, são pouco conhecidas até mesmo por cariocas, pelo menos até agora.
Percorrer as trilhas, num total de 3,5km, acompanhando a sinuosidade da encosta — o que demora pelo menos três horas para ir da primeira, Búzios, à última delas, Inferno — pode ser uma aventura para quem não está acostumado, mas, o esforço, é recompensado pela beleza e tranquilidade.
O acesso por trilha limita bastante a presença de banhistas às praias. Mas seria inverdade afirmar que elas são sempre desertas. Longe de qualquer comparação com a orla da Zona Sul num domingo de verão, esse pedaço ainda protegido do litoral carioca costuma ser refúgio de dezenas de praticantes de camping "selvagem" nos feriados prolongados, o que tem deixado indignados moradores de Barra de Guaratiba, por causa do rastro de lixo que costumam deixar para trás. Algumas pedras pichadas pelo caminho das trilhas também denunciam que a região não está a salvo de vandalismo, embora faça parte da Área de Proteção Ambiental de Grumari.
Mas fora dos períodos tumultuados, as praias estão lá, praticamente desertas, exibindo beleza abundante, além de descortinar um ângulo diferente da Pedra da Gávea. As duas primeiras praias — Búzios e Perigoso — por terem águas mais calmas (apesar de risco de correnteza) e de acesso mais fácil, são as preferidas de quem se dispõe a fazer a caminhada, de cerca de 40 minutos até elas.
Contam os moradores da região que Perigoso não faz jus ao nome. Reza a lenda que a praia, de 150 metros de extensão de faixa de areia, passou a ser chamada assim porque teria sido rota de fuga de presos perigosos que escapavam do extinto presídio da Ilha Grande. Já Búzios praticamente não tem areia. É repleta de pedras, que podem formar pequenas piscinas, mas é preciso ter cuidado para não se ferir nos ouriços que ficam junto às rochas.
O caminho ao paraíso começa na Rua Parlon Siqueira, uma ladeira íngreme, na Praia do Canto, em Barra de Guaratiba. No final dela está o primeiro trecho de trilha, com 1,5km de extensão, que leva a Búzios e a Perigoso, situadas exatamente aos pés da bela Pedra da Tartaruga (que vista de longe, parece o casco e a cabeça do animal). Além de banhistas, esse trecho da encosta atrai praticantes de rapel. A trilha não é perigosa, mas "marinheiros de primeira viagem" terão alguma dificuldade para fazer a descida até a areia, pois o cascalho e a inclinação do trajeto aumentam os riscos de escorregões.
Mas um alento para quem gostaria de conhecer esse trecho ainda preservado do litoral da cidade e não tem disposição para enfrentar caminhadas cansativas: barqueiros da Praia do Canto levam visitantes até as praias. O preço da viagem varia dependendo do tamanho da bagagem, da praia escolhida e dos horários de chegada e saída. Os barcos também podem fazer passeios por elas, dependendo da condição do mar.

Do Secreto

Quem vai da Praia da Macumba à Prainha pode pensar que não existe nada no meio do caminho, mas por entre as rochas existe um lugar tão pouco conhecido, até mesmo dos cariocas, que recebeu o sugestivo nome de Praia do Secreto. São dois caminhos para chegar até ela - Um seguindo com muito cuidado pelas pedras a partir da praia da Macumba, o outro subindo pela estrada que liga Macumba e Prainha, seguindo por uma trilha no meio do caminho que termina em uma descida bastante íngreme pela pedra. A faixa de areia é muito pequena e fica entre a montanha e uma rocha larga e estreita, que age como uma espécie de quebra-mar, formando uma piscina natural. Por sofrer grande influencia do mar, quando a maré está cheia a praia desaparece. Além disso, devido às formações rochosas que circundam a região, a incidência de sol tem horário reduzido. 
A descida é ingrime e exige cuidado. Aconselha-se utilizar tênis com solado antiderrapante.

Dos Búzios

A praia dos Búzios é acessível apenas por uma trilha que começa no final da rua Parlon Siqueira, em Barra de Guaratiba. O grau de dificuldade da caminhada é leve, mas se recomenda sempre fazer à luz do dia e acompanhado.
Localizada na Barra de Guaratiba, o acesso é feito através de algumas trilhas e a mais bonita de se percorrer se alcança seguindo a Rua Parlon Siqueira até o bar do Zequinha, o inicio da trilha fica ao lado do bar, seguindo essa trilha chegaremos as Praias dos Búzios, (a Pedra da Tartaruga fica localizada entre essas duas praias), Perigoso, Meio, Funda e Inferno.
Durante a caminhada podemos observar alguns atrativos naturais como nascentes d'água e mirantes naturais que nos permitem avistar as praias selvagens da região.

Do Perigoso

A praia do Perigoso é acessível apenas por uma trilha que começa no final da rua Parlon Siqueira, em Barra de Guaratiba. O grau de dificuldade da caminhada é leve, mas se recomenda sempre fazer à luz do dia e acompanhado. O tempo de duração da caminhada fica em torno de 50 minutos e o grau de dificuldade moderado.
Contam os moradores mais antigos da Barra de Guaratiba que um bandido se refugiou naquela praia durante longo tempo; não se sabe o que aconteceu com o bandido, e desde então a praia ficou conhecida como Perigoso.

Praia do Meio

Quem deixa Perigoso e volta à trilha principal pode seguir mais 500 metros, num trajeto de cerca de meia hora, até a Praia do Meio, procurada principalmente por surfistas. É a maior das cinco, com quase 350 metros de extensão.
Nesse trecho da encosta, num nível mais alto que a Pedra da Tartaruga, fica a Pedra do Telégrafo, outro ponto com visão panorâmica. As praias seguintes, Funda e Inferno ficam, respectivamente a 300 e 500 metros após a do Meio. O caminho exige um pouco mais de disposição e não é indicado tentar ir de uma praia à outra pelas pedras junto ao mar. Voltar para a trilha é a maneira mais segura de continuar o passeio. A descida à Praia Funda (com 300 metros de faixa de areia), por exemplo, é feita por uma rocha, mas uma corda presa à pedra ajuda o visitante. Funda e Inferno são protegidas por paredões verdes.
A praia do Meio de areia branca encravada na região da Barra de Guaratiba, entre a do Perigoso e a Funda. Para chegar lá só depois de caminhada por uma trilha de 2 km.
É a melhor por ter uma nascente de água mineral que atende a todos. Apesar dela ficar na zona oeste do Rio ela é isolada, pois para se chegar lá tem que fazer uma trilha, com subida e descida que dá mais ou menos 2 horas de caminhada...mas vale apena cada esforço e o prazer já começa quando se chega ao cume e tem-se a vista das praias. 
Pra quem desejar ir, recomendamos ir direto de Barra de guaratiba a praia do meio...o caminho pelo perigoso apesar de ser mais suave é mais longo.
A praia do Meio é acessível apenas por uma trilha que começa no final da rua Parlon Siqueira, em Barra de Guaratiba. O grau de dificuldade da caminhada é leve, mas se recomenda sempre fazer à luz do dia e acompanhado.

Praia Funda

Da praia do Meio em diante, o caminho começa a ficar mais fechado e difícil. São morros mais altos, que exigem um bom preparo físico. De lá chegamos à praia Funda, que mais parece uma praia deserta. Como o acesso é feito apenas por trilhas, são poucas as pessoas que chegam até as últimas praias, o que faz com que a preservação seja garantida (a área é localizada dentro de uma APA - Área de Proteção Ambiental). A praia Funda é acessível apenas por uma trilha que começa no final da rua Parlon Siqueira, em Barra de Guaratiba. 

Praia do Inferno

Localizada na Barra de Guaratiba, o acesso é feito através de algumas trilhas e a mais bonita de se percorrer se alcança seguindo a Rua Parlon Siqueira até o bar do Zequinha, o inicio da trilha fica ao lado do bar, seguindo essa trilha chegaremos as Praias dos Búzios, ( a Pedra da Tartaruga fica localizada entre essas duas praias ), Perigoso, Meio, Funda e Inferno.
Durante a caminhada podemos observar alguns atrativos naturais como nascentes d'agua e mirantes naturais que nos permitem avistar as praias selvagens da região. A praia do Inferno é acessível apenas por uma trilha que começa no final da rua Parlon Siqueira, em Barra de Guaratiba. O grau de dificuldade da caminhada é leve, mas se recomenda sempre fazer à luz do dia e acompanhado.

Praia de Grumari

A praia de Grumari tem aproximadamente 2,5 km de extensão e faz parte de uma reserva ambiental, juntamente com a Prainha. Em sua parte norte, dá de encontro com costões rochosos cobertos de verde. Em seu canto esquerdo fica a Praia do Abricó, única praia de nudismo da cidade. A Praia é muito procurada pelos surfistas por causa das fortes ondas. A Praia de Grumari fica no bairro do Recreio dos Bandeirantes na Zona Oeste da cidade do Rio, distante 50 km do Centro.

Comer e beber

Barracas - Estão espalhadas por toda a extensão da faixa de areia, aproximadamente a cada 100 metros.
Quiosques - Existe um restaurante no canto esquerdo da Praia de Grumari, pertinho da entrada para a Praia do Abricó. O estabelecimento serve refeições, petiscos e bebidas. 

Uma dica: Ajude a manter a praia limpa! Recolha o seu lixo quando estiver indo embora (existem lixeiras da Comlurb nos quiosques). Grumari é um paraíso que merece todo o nosso carinho.
Estacionamento - As vagas são restritas e se chegar tarde pode não encontrar onde parar.

Praia do Abricó

A praia do Abricó, no Recreio dos Bandeirantes, é a única área urbana na cidade do Rio de Janeiro onde o nudismo é permitido por lei. Com 250 metros de extensão e encravada entre densa vegetação verde e bem abrigada por pedras, é frequentada por mulheres, jovens, idosos e crianças. A praia é muito bonita e as água limpa. Não se vê lixo no chão e não há muvuca.Não existe aluguel de cadeiras e guarda-sol na praia, por isso traga de casa. Além disso praticamente não há sombra e mesmo pessoas acostumadas ao sol podem se queimar se não passarem protetor nas partes brancas do corpo que não estão acostumadas ao sol. Também não existe lugar para guardar seus pertences e os frequentadores deixam as roupas e objetos do lado de onde estão ficando. A princípio não tem problema deixar as coisas na areia e ir dar um mergulho, mas é sempre bom pedir para alguém dar uma olhada.

Dica: É recomendável levar toalha ou canga, que serve para sentar na areia ou apoiar-se em um assento público.
Aos sábados, domingos e feriados do verão a estrada que leva á praia do Abricó é interditada para circulação de veículos entre 9 e 15 horas. Para evitar problemas e perda da viagem recomendamos a chegada à praia bem cedo da manhã ou após as 15 horas.
Naturismo
O objetivo do banho de sol ao natural é promover uma integração maior com a natureza e aprender a respeitar o próximo por sua essência, não pelos seus bens materiais.
Quando ir - Para pessoas de pele sensível ao sol é recomendável ir em dias nublados.
Onde fica - Na Avenida Estado da Guanabara, no bairro do Recreio dos Bandeirantes.
Recomenda-se que a visitação aconteça apenas nos finais de semana, quando os integrantes da associação de naturistas está vigiando e orientando os banhistas. 
Não vá de segunda a sexta - pois a associação não tem meios de atuar lá no meio da semana e muita gente vai para fazer sexo ou para se masturbar na frente de outras pessoas, o que acaba criando uma imagem ruim para o local. Tais práticas já foram denunciadas mas as autoridades não se manifestam. Espera-se que a lei que regulamentou o naturismo na praia em fins de 2014 elimine as práticas abusivas.

Regras - É proibido:

Ter comportamento sexualmente ostensivo e/ou praticar atos de caráter sexual ou obscenos nas áreas públicas.
Portar ou utilizar drogas tóxicas ilegais.
Causar dano à imagem pública do Naturismo ou das áreas naturistas.
É considerado comportamento inadequado - Fazer propostas inconvenientes com conotação sexual.
Portar-se de forma desrespeitosa ou discriminatória perante outros naturistas ou visitantes.
Utilizar assentos de uso comum sem a devida proteção higiênica.
Fotografar, gravar ou filmar outros naturistas, sem a permissão dos mesmos. Pode levar celular e câmera, mas tem sempre que perguntar a todos se pode tirar foto. Não pode fingir que está fazendo uma 'selfie' para fotografar outras pessoas. Se quer tirar foto de si próprio ou do grupo que estiver com você, certifique-se que o ângulo não mostre outras pessoas.

Prainha

A Prainha fica dentro de uma Área de Proteção Ambiental na qual não são permitidas novas construções. Em função disso, a fauna e a flora do local são bastante preservadas, e ainda há um manancial de água doce e cristalina. O Parque Municipal Ecológico da Prainha tem diversas trilhas para caminhada que permitem ao visitante um contato mais próximo com a natureza.
A estrada sinuosa dá acesso à Prainha passa por um mirante de visual incrível. A paisagem exuberante dali avistada fornece ao observador a sensação inusitada de estar numa praia selvagem cravada dentro de uma metrópole de milhões de habitantes como o Rio de Janeiro.
A faixa de areia clara tem cerca de 150 metros que se estendem entre o maciço da Pedra Branca e o oceano Atlântico. A ação do homem é pouco sentida no local e para chegar à praia passa-se por figueiras e paineiras.O mar é azulado e transparente. Não há qualquer tipo de contaminação das águas, justamente por não haver moradores instalados ali. A balneabilidade, junto com a da vizinha Grumari, é sem dúvidas uma das melhores do Rio de Janeiro. A qualidade da água é irretocável, segundo o relatório de qualidade do mar divulgado pelo INEA. As ondas, com 3 metros em média, são muito procuradas pelos surfistas e o local sedia alguns campeonatos (Master Prainha, Hurley Pro, entre outros).

Além dos surfistas, a frequência local é de praticantes de outros esportes ligados ao mar, jovens descolados e personalidades variadas do meio artístico e político atraídos pela beleza do lugar. A estrutura de atendimento aos frequentadores é relativamente precária quando confrontada com aquela encontrada na maioria das praias do Rio – há dois quiosques e um estacionamento – fator este que deve ser previamente levado em conta por quem vai ao local. Se não há mordomias em abundância, há por outro lado a compensação de uma flora exuberante e do mar de águas cristalinas.
"Bandeira Azul - Certificado Internacional de Qualidade
A Prainha é a primeira praia do Rio a receber a Bandeira Azul, símbolo internacional que indica a qualidade da praia. Entregue pela ONG Foundation For Environmental Education (Fundação para a Educação Ambiental), a certificação é dada a praias e áreas costeiras que cumprem 33 exigências divididas em quatro áreas: educação, informação ambiental, qualidade da água do mar, segurança e gestão ambiental."
Como chegar - A prainha fica logo depois da praia da Macumba, e é vizinha do bairro de Grumari. Chega-se a ela pela Avenida Estado da Guanabara, depois do Recreio dos Bandeirantes, de carro ou no Surfbus. De Surfbus - Ônibus especial para até 30 surfistas – com acomodação para 12 pranchões, 15 bodyboards e 20 pranchinhas – que circula das 7:00 h às 19:00 h e tem guias trilíngues. O Surfbus tem 4 horários de saída do Largo do Machado em direção à Prainha, e 4 horários no sentido inverso (última saída da Prainha é às 17:30 h).

Praia da Macumba

Conhecida popularmente como "Praia da Macumba", a Praia do Pontal de Sernambetiba, estende-se do Pontal até o Canal de Sernambetiba e faz parte do Bairro Recreio dos Bandeirantes.
O nome popular veio por ali ser local em que adeptos de religiões como Umbanda e Candomblé, tinham o hábito fazer suas oferendas à Iemanjá e orixá. O Pontal de Sernambetiba, também tem seu nome popular, batizado de Pontal Tim Maia em homenagem ao cantor. É possível subir no Pontal durante a maré baixa, em um caminho formado na areia. O esforço é compensado pela linda vista. 
A Praia da Macumba é conhecida também como o paraíso dos surfistas que praticam o long-board, juntamente com o Canto do Recreio.

Costa Verde

Com a orla recortada por penínsulas e pequenas praias - algumas semi-selvagens - de águas calmas. É o melhor acesso para quem vai do Rio até a Ilha Grande.
Deixando Angra dos Reis para trás, 56 km depois está Mangaratiba, que até o Rio só é permitido acampar nas praias Grande, algumas no Saco de Mangaratiba, Ribeira, Ibicuí, Brava, Saí e Saizinho, e Praia Grande, a de Muriqui está totalmente poluída.

Mangaratiba

Cidade tranquila e com muitos atrativos naturais, está localizada no interior do estado do Rio de Janeiro. Costuma receber muitos visitantes de cidades próximas, principalmente durante o verão. Com diversas opções de turismo, se destacam praias como a do Saco e da Junqueira, que são muito visitadas. Mangaratiba oferece diferentes praias, para os que gostam de mais movimento, e praias praticamente desertas. Dentre outros atrativos, destacam-se ilhas e cachoeiras, além de pontos históricos como as Ruínas do Antigo Teatro, Solar do Barão de Sahy e as Estradas do Príncipe e Imperial. Devido a grande quantidade de mata nativa preservada, o ecoturismo costuma ser forte no município, que oferece aos visitantes opções de trilhas e passeios. Com boa infraestrutura, a cidade conta com diversas opções de pousadas, hotéis e restaurantes, além de centro comercial.

Praia do Saco

Considerada uma das praias mais bonitas de Mangaratiba, costuma receber muitos turistas durante a alta temporada. De grande extensão, conta com uma grande faixa de areia clara, e o mar é tranquilo de águas transparentes. Árvores enfeitam e fazem sombra para alguns visitantes. É um bom lugar para se visitar com a família, já que as crianças podem brincar e nadar sem preocupação. Com moderada urbanização, com casas simples e águas rasas, possui boa infraestrutura, com alguns quiosques que servem bebidas e petiscos a seus clientes. Por conta do grande espaço de areia, durante o verão é comum ver frequentadores jogando futebol ou vôlei. A prática de esportes náuticos também acontece, em sua maioria de caiaque e vela. É ideal para desfrutar de um belo dia na praia, seja para descansar, tomar banho ou praticar algum esporte.

Praia da Ribeira

Praia de grande litoral e beleza, costuma receber muitos visitantes durante a alta temporada. Com um belo visual, dessa praia é possível ver outras duas ilhas. Possui uma espaçosa faixa de areia batida radiativa, alguns visitantes frequentam o lugar por acreditarem que cura certas doenças. Suas águas são calmas, mornas e transparentes. Pedras e árvores fazem parte da paisagem da praia, que costuma atrair muitas famílias durante o verão. Por ser um lugar tranquilo, é indicado para os que querem relaxar, tomar um bom banho de mar e descansar à sombra de uma amendoeira. O lugar também é procurado para a prática de esportes náuticos. Por não ser uma praia urbanizada, é indicado que o turista leve alimentos e bebidas, para desfrutar de um agradável dia na praia.

Itacuruçá

Situada numa enseada pequena e sossegada, é um lugar tranquilo e acolhedor, o município costuma receber diversos visitantes durante o ano, principalmente durante o verão. Muitos provenientes da capital do Estado, que encontram aqui a oportunidade de relaxar distante dos grandes centros. Com diversos pontos turísticos, a cidade de Itacuruçá possui praias semi-selvagens e quase desertas, ilhas e alguns lugares históricos. Dentre suas praias podemos destacar a Praia Grande, uma das mais movimentadas da região, abrigando quiosques e pousadas. As ilhas e cachoeiras são outro atrativo à parte, e costumam receber muitos turistas. Igrejas e uma antiga estação ferroviária que hoje abriga um centro cultural também são bons pontos de turismo. Por ser próximo da capital, Itacuruçá é um bom lugar para se visitar, saindo da rotina e conhecendo novos ambientes, sem precisar ir muito longe.

Praia Grande

Considerada uma das praias mais frequentadas de Itacuruçá, durante a alta temporada o movimento de turistas é grande. É daqui que partem os passeios de barco que levam a diversas praias da região. Com uma boa faixa de areia clara, possui mar tranquilo, ótimo para o banho. É cercada por grande área de vegetação nativa, como a maior parte das praias da cidade. É considerado um bom lugar para se conhecer, mas os que gostam de tranquilidade devem evitar a alta temporada. Com boa infraestrutura, conta com quiosques e restaurantes, que servem diversos pratos e petiscos. O turista pode contar também com algumas pousadas localizadas no lugar. É um ótimo lugar para a família, que pode aproveitar um belo dia na praia com o conforto de ter tudo próximo.


Praia de Sapioeira

Praia simples de águas tranquilas, é lar de uma comunidade de pescadores, que com seus barcos, dão mais cor ao lugar. Possui areia grossa, e o mar é transparente, muito propício para o banho. Pouco frequentada por turistas, essa praia cercada de mata é praticamente deserta. Com uma bela paisagem, muitas árvores refrescam o lugar durante o verão. Desta praia se avista o continente e muito verde. Os visitantes, em sua maioria pescadores, geram certo movimento na praia. Alguns turistas provenientes de passeios de barco descem para conhecer o lugar, durante o verão. Fora da alta temporada, a praia costuma ficar vazia. Por conta de suas águas transparentes, é boa para a pesca e para esportes como o mergulho, além de ser um bom lugar para descansar.

Praia Cabeça do Boi

Com aproximadamente 200 metros de extensão, esta praia é pouco conhecida por visitantes da Ilha de Itacuruçá. Possui uma espaçosa faixa de areia grossa e clara, e o mar é tranquilo de águas transparentes. Cercada por muita vegetação nativa preservada, é um ótimo lugar para estar em contato com a natureza e descansar já que a praia é muito sossegada. Costuma receber alguns visitantes durante o verão, turistas que passeiam de barco e acabam chegando até essa tranquila praia, e aproveitam para admirar a bela paisagem. Praia simples, possui algumas casas em sua extensão, mas pouca infraestrutura, o que significa que o turista deve levar alimentos e bebidas para que não ocorram problemas.


Ilha de Itacuruçá
ITACUR~1
Assim passando por Mangaratiba e Itaguaí (onde, para acampar, segundo a delegacia, só com ordem escrita, não merecendo suas praias, entretanto tal preocupação) pode-se dar uma olhadinha na Ilha de Itacuruçá e Jaguanum, são muito bonitas, mas não sabemos agora, se ainda pode acampar.

Ilha de Jaguanum

Uma ilha quase selvagem, o mar verde e catorze praias quase inexploradas, habitadas quase que somente por pescadores, que podem ser alcançadas por barco ou por trilhas. Tem praias importantes, como Pitangueiras, Cabeceiros, Calabouços, Calhaus, Mocambo, Várzea, da Estopa, do Catito, do Sul e Araçá.

A orla é coberta de verde, com várias árvores frutíferas. Possui águas mornas e grandes pedras, propiciando banhos, pesca e esportes náuticos.
Ilha de Jaguanum

Quissamã

É um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro, mesorregião do Norte Fluminense, microrregião de Macaé. Além de suas praias, lagoas e canais, Quissamã destaca-se por ter o Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, dentro do seu município. 
Um setor promissor é o de turismo ecológico, histórico e rural. O resgate do patrimônio histórico-cultural foi feito com a restauração da Casa da Fazenda Quissamã e a criação do Museu de Quissamã e do Parque Municipal; a restauração do complexo arquitetônico da fazenda de Machadinha; restauração da Casa da Fazenda Mandiqüeira e no esforço pela preservação do Fado de Quissamã. O turismo ecológico foi incentivado com a criação do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba. 

Barra do Furado - Ponto de surfistas. Início de sequências de praias à beira de sítios e fazendas. São desertas, com pequenas lagoas até a Praia da Capivara: das Flecheiras, do Carrilho, do Pires, da Lagoinha e de Quissamã ou João Francisco, mais frequentada por moradores de Quissamã.

Macaé

Macaé faz divisa com as cidades de Carapebus, Conceição de Macabu, ao Norte; Rio das Ostras e Casimiro de Abreu, ao Sul; Trajano de Moraes e Nova Friburgo, a Oeste; e com o Oceano Atlântico, a Leste.
Contando com 23 quilômetros de litoral, o clima é quente e úmido na maior parte do ano, com temperaturas que variam entre 23 °C e 38 °C, amplitude térmica considerável, ocasionada pela troca de ventos entre o litoral e a serra, relativamente próximos. É também conhecida como "Princesinha do Atlântico". São vários os pontos turísticos desta cidade, que começa a acordar para esse mercado tão bem explorado por países de "Primeiro Mundo", graças a iniciativa privada.

Carapebus e Grande - Têm faixa estreita de areia clara e fina, com búzios rosados e coqueiros. O acesso é por terra (trilha): 20' a pé. Ao fundo fica a lagoa de Carapebus de água escura, a Praia Grande, deserta, é a continuação de Carapebus. 

Praia do Campista - Conhecida por seu mar agitado, a Praia Campista costuma receber muitos visitantes durante a alta temporada. Com uma espaçosa faixa de areia clara, seu mar é azul cristalino, e suas ondas agradam aos que gostam de um pouco mais de aventura. Em certa parte da praia, algumas pedras tornam as águas mais calmas, é onde alguns frequentadores aproveitam para tomar banho de mar. É de fácil acesso, e por conta de sua beleza, atrai diversos moradores e turistas ao longo do ano. Alguns visitantes aproveitam para praticar a pesca, que é indicada no local. Outra boa opção é a caminhada, que possibilita admirar a praia em sua extensão. Por ser próxima do centro, não faltam comércios, o que permite que o visitante desfrute de um dia tranquilo na praia.

Praia do Pecado - Uma das mais bonitas praias de Macaé, a Praia do Pecado encanta por sua beleza quase paradisíaca. Com uma grande faixa de areia clara e fofa, é propícia para esportes como vôlei, futebol, frescobol e caminhada. O mar á azul com boas ondas, atraindo praticantes de surf e bodyboard, e em certo ponto da praia, mergulho e pesca. Costuma receber muitos visitantes, principalmente durante o verão. Com vários prédios próximos, os moradores costumam descer para admirar a beleza da praia, além de caminhar. Localizada ao lado da Praia dos Cavaleiros, fica também na região central da cidade, onde se pode encontrar um variado comércio. É uma ótima opção para os amantes da natureza, que encontram aqui a oportunidade de admirar e curtir as belas paisagens que essa praia reserva.

Arquipélago de Santana - É formado por três ilhas: de Santana, do Francês e Ilhote do Sul. Elas recebem proteção ambiental e por isso a visitação depende de autorização da Capitania dos Portos. As atrações são um farol, belas praias desertas, águas ótimas para pesca, mergulho e caça submarina. Acesso por barco (45'), a partir do cais do mercado.

São Francisco de Itabapoana 

Município da microrregião de Campos dos Goytacazes, na mesorregião do Norte Fluminense, no estado do Rio de Janeiro. O município de São Francisco de Itabapoana possui cerca de 60 quilômetros de extensão de lindas praias. Todas se caracterizam por suas ondas tranquilas e temperatura amena, convidando para um passeio em família. Também são recomendadas para cura de várias doenças devido a suas areias medicinais. Se destacam pelos atrativos naturais, fazendo com que os visitantes possam desfrutar dos mais variados cenários.

Ao sul do município, estão as praias urbanizadas, com boa infraestrutura e uma ampla rede de hotéis e pousadas. As praias de Santa Clara, Guaxindiba, Gargaú , Sonhos, Sossego e Barra do Itabapoana são as mais movimentadas, concentrando a programação de verão com shows e atividades esportivas, culturais e de lazer. 

Outro atrativo são as Ilhas de Lima, do Peçanha e da Convivência, que, na foz do rio Paraíba do Sul, fazem um convite ao turismo ecológico com cerca de 200 quilômetros quadrados de áreas de manguezais ricas em espécies de crustáceos, canais tipo igarapé, várias pequenas lagoas, ilhas de areias e muita vegetação nativa.

Já ao norte do município, encontra-se um litoral verde que é ideal para quem procura tranquilidade. Em perfeita harmonia com a natureza, vivem os moradores dos pequenos lugarejos circundados por paisagens rurais, vegetação de restinga, enseada belíssima e muito verde, destacando-se as praias de Tatagiba, Caçador, Guriri e Lagoa Doce.



Nenhum comentário:

Postar um comentário