29.11.16

Comidas típicas

O Brasil apresenta uma grande variedade de pratos típicos.

Em se tratando de comida, seja em camping selvagem ou campings estruturados, é sempre bom "para os que gostam da boa mesa", saber as especialidades de cada cidade.
É claro que em um camping selvagem você não encontrará um restaurante cinco estrelas à disposição, mas dependendo do lugar há sempre os ribeirinhos "moradores locais" com suas comidas típicas da região, pequenos barzinhos, botecos, que servem pratos ou refeições, próximos do seu acampamento.
No caso de camping estruturado, é muito mais provável de ter um restaurante/ lanchonete com suas comidas típicas do estado em que você for acampar.
Saiba quais são eles e os estados onde se pode experimentá-los.

Minas Gerais

Conheça os pratos típicos, ingredientes e quitutes que conquistaram o paladar do Brasil.
Aqui estão os 12 pratos que confirmam que Minas Gerais é o estado mais gostoso do Brasil:
1 - Frango com quiabo - O prato, em geral, refogado na banha de porco, chegou à mesa dos mineiros por influência dos índios.

2 -  Pão de queijo do empório Verdemar, em Belo Horizonte - A culinária de Minas Gerais presenteou o país com o pão de queijo, quitute que perfuma o ambiente e cai bem a qualquer hora – especialmente quando sai quentinho do forno.

3 - Doce de abóbora cremoso - Compota, em pasta, com coco...em Minas Gerais, o doce caseiro é preparado sem pressa em várias versões, com ingredientes frescos.

4 - Tutu de feijão mineiro - O feijão cozido, refogado e engrossado com farinha de mandioca pode ser encontrado em diferentes regiões do Brasil. Em Minas Gerais, onde a receita é uma das principais atrações da cozinha, costuma-se usar o feijão-roxinho ou o feijão-preto, amassado em forma de purê antes de receber a farinha de mandioca. O resultado é um pirão mole, companheiro para o arroz, a couve, o torresmo e a carne de porco frita.

5 - Bambá de couve - Ideal para os dias frios, o bambá de couve é feito com caldo de carne engrossado com fubá, ovos, couve e linguiça.

6 - Feijão-tropeiro mineiro - A receita, uma mistura de feijão cozido, farinha de mandioca e linguiça, era a alimentação básica dos trabalhadores que transportavam mercadorias em lombo de burro.

7 - Ambrosia - Típica das mesas de Minas Gerais, a ambrosia tem ingredientes simples: leite, ovos, casca de limão, açúcar e canela levados ao fogo. Depois de esfriar, a mistura é levada à geladeira para se transformar numa delícia açucarada.

8 - Couve refogada - Essencial para acompanhar pratos como a feijoada e o tutu de feijão. Na versão à mineira, a couve é cortada bem fininha e refogada um pouco antes de ir à mesa com banha de porco, alho e cebola. Há quem acrescente cubinhos de bacon ao preparo.

9 - Folhas de ora-pro-nóbis ou rogai por nós, vegetal rico em fósforo e cálcio - Ingrediente comum na cozinha mineira, as folhas de ora-pro-nóbis podem enriquecer saladas, refogados, sopas, omeletes e tortas, mas seu uso mais frequente é com a galinha caipira. O nome vem do latim e quer dizer “orai por nós”. Diz a lenda que os padres colonizadores utilizavam o arbusto como cerca viva ao redor de igrejas. Durante as orações, enquanto os religiosos estavam ocupados, os moradores da cidade aproveitavam para colher as folhas às escondidas.

10 - Frango ao molho pardo - Comidas típicas do Sudeste - Antes de servir, a ave guisada em pedaços é acrescida do próprio sangue, colhido no momento do abate e misturado a vinagre para não coagular. O resultado é um molho escuro – daí o nome do prato. Em Portugal, onde se originou, a receita ganha o nome de galinha à cabidela e a técnica de empregar o sangue no preparo também é aplicada a outras aves, como pato, ganso e marreco.

11 - Leitão à pururuca - A receita trazida pelos portugueses ganhou fama em Minas Gerais pelo sabor e tempero. Em alguns restaurantes, o leitão chega à mesa acompanhado de arroz branco, farofa, feijão-tropeiro e couve.

12 - Fabricação de doce de leite em Caxambu, Minas Gerais - Preparado em uma panela grande, com leite fresco e açúcar, o doce de leite é umas das sobremesas mais tradicionais de Minas Gerais.
Receitas fáceis, de preferência preparadas no fogão a lenha e temperadas com muito afeto. Eis a essência da cozinha mineira, que inclui pão de queijo, tutu de feijão, frango ao molho pardo, doce de leite e outras delícias.

Difundidas em todo o Brasil, cada uma das receitas carrega um pouco de história. Algumas remontam aos hábitos indígenas, outras são frutos da influência dos portugueses atraídos pela riqueza do ouro e do diamante ou da criatividade e apetite dos escravos que trabalhavam nas minas.

Pará

Considerada uma das culinárias mais “brasileiras” do País, a gastronomia do Pará tem a cultura indígena como sua maior influência, mas também carrega consigo traços das cozinhas portuguesa e africana. Seus ingredientes básicos são obtidos da exuberante Floresta Amazônica, como folhas e ervas, são uma forte herança deixada pelos índios da região.
1 - Maniçoba - Sobre o seu preparo, a maniçoba é feita com as folhas da maniva/mandioca moídas e cozidas, por aproximadamente "uma semana" (para que se retire da planta o acido cianídrico, que é venenoso), acrescida de carne de porco, carne bovina e outros ingredientes defumados e salgados. A maniçoba é servida acompanhada de arroz branco, farinha de mandioca e pimenta. Tradicionalmente, a maniçoba é um dos pratos principais nas festas de Círios de Nazaré.

2 - Pato no Tucupi - O tucupi é um caldo amarelo extraído da mandioca, e por isso é venenoso a princípio, precisando ser cozido durante uma semana para perder sua toxicidade. O pato, depois de assado, é cortado em pedaços e fervido no tucupi, onde fica de molho por algum tempo. As folhas de jambu são fervidas em água com sal, escorridas e colocadas sobre o pato. O prato é servido com arroz branco e farinha de mandioca.

3 - Tacacá - É uma comida regional muito diferente, preparada com o tucupi (caldo da mandioca, previamente fervido com alho e chicória), goma (mingau feito com uma massa fina e branca, resultado da lavagem da mandioca ralada) e jambu (planta considerada afrodisíaca).

4 - Vatapá - o vatapá paraense não leva peixe, nem amendoim ou castanha-de-caju. Ao caldo da cozedura das cabeças e das cascas de camarão salgado perfumado com alfavaca, chicória, alhos e cheiro verde, adiciona-se farinha de trigo e/ou de arroz, obtendo-se um mingau. Acrescenta-se o leite de coco puro, camarões já fervidos e azeite de dendê.

5 - Açaí - Não dá pra falar em açaí sem logo já associá-lo ao Pará, afinal esse é o Estado mais famoso a produzir o fruto. Mas esqueça aquele açaí com granola, banana e leite condensado. Por aqui ele é consumido de “forma salgada”, normalmente acompanhado de peixe frito e farinha d’água.



Nenhum comentário:

Postar um comentário